sexta-feira, 25 de abril de 2008

Daniel na Cova dos Leões

Aquele gosto amargo do teu corpo
Ficou na minha boca por mais tempo
De amargo então salgado ficou doce,
Assim que o teu cheiro forte e lento
Fez casa nos meus braços e ainda leve
Forte, cego e tenso fez saber
Que ainda era muito e muito pouco.

Faço nosso o meu segredo mais sincero
E desafio o instinto dissonante.
A insegurança não me ataca quando erro
E o teu momento passa a ser o meu instante.
E o teu medo de ter medo de ter medo
Não faz da minha força confusão
Teu corpo é meu espelho e em ti navego
E eu sei que a tua correnteza não tem direção.

Mas, tão certo quanto o erro de ser barco
A motor e insistir em usar os remos,
É o mal que a água faz quando se afoga
E o salva-vidas não está lá porque
Não vemos

"Sofrer não é opcional, porém continuar sofrendo é."

De alguém que eu preso muito, mas que prefere o anonimato.


Ass.: Robson Jr - Não deixe a guerra começar

6 comentários:

Mr. Purple 25 de abril de 2008 21:06  

Espero que esse treco NÃO seja comigo.

morra! e eu comento mesmo, e ainda falo mal, morra, morra, morra!

Robson Jr. 27 de abril de 2008 18:38  

NÃO! Seu puto! Não tem NADA a ver com você...







Ainda bem não é caros leitores?Hehehe

Samuel 27 de abril de 2008 20:17  

pô kra, ótimo poema, lindão...embora eu não tenha entendido a mensagem do texto,
até aquela frase que vc citou sobre sofrer.

Só uma coisa o título que vc pos é o original??

Robson Jr. 27 de abril de 2008 22:49  

É o original sim meu chapa...não entendeu?

Como diria o Deputado: "Nem eu"

Haheuaehueahaueha

Samuel 29 de abril de 2008 19:06  

ahauhUahUHAHAUAHUAush...Kra porque um dos marcadores pra esse poema é música??

Robson Jr. 30 de abril de 2008 20:53  

Por que isso ai é uma letra de musica.

Esse blog foi feito...

Para pensadores esclarecidos, ou não...
Para poetas clássicos, ou não...
Para leitores convictos, ou não...
Para você, ou não...
Para mim, ou não...
Para sua mãe, sempre!

  © Blogger template 'Star Wars' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP