terça-feira, 29 de dezembro de 2009

El Desdichado II

Eu sou o tenebroso, o irmão sem irmão,
O abandono, inconsolado,
O sol negro da melancolia

Eu sou ninguém, a calma sem alma que assola, atordoa e vem
No desmaio do final de cada dia

Eu sou a Explosão, o Exu, o Anjo, o Rei
O Samba-sem-canção, o Soberano de toda a alegria que existia

Eu sou a contramão da contradição
Que se entrega a Qualquer deus-novo-embrião pra traficar
O meu futuro por um inferno mais tranquilo

Eu sou Nada e é isso que me convém
Eu sou o sub-do-mundo e o que será que me detém?

Eu sou o Poderoso, o Bababã,
O Bão! Eu sou o sangue, não!
Eu sou a Fome! do homem que come na brecha da mão de quem vacila

Eu sou a Camuflagem que engana o chão
A Malandragem que resvala de mão em mão
Eu sou a Bala que voa pra sempre, sem rumo, perdida

Eu sou a Explosão, o Exu, o Anjo, o Rei
Eu sou o Morro, o Soberano, a Alegoria que foi a minha vida

Eu sou a Execução, a Perfuração
O Terror da próxima edição dos jornais
Que me gritam, me devassam e me silenciam.

Ass.: Robson Jr. - Tirem vocês mesmos suas conclusões...

3 comentários:

Angel 1 de janeiro de 2010 20:36  

Só você pra postar algo assim numa época cmo essas (zoa).

Acho que vc parece o Charlie Brown (Snoppy).

:/ Fo-da.

Robson Jr. 1 de janeiro de 2010 21:03  

Haheuaehuahaha
Charlie Brown é foda...haeuhaueha

Angel 4 de janeiro de 2010 20:36  

Yeés (y)

Aí, sobre o seu texto do Artista:

" faz parte de um grande artista ser incompreendido por seu tempo "

A-do-rei isso aí e combina perfeitamente

:*

Esse blog foi feito...

Para pensadores esclarecidos, ou não...
Para poetas clássicos, ou não...
Para leitores convictos, ou não...
Para você, ou não...
Para mim, ou não...
Para sua mãe, sempre!

  © Blogger template 'Star Wars' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP