sexta-feira, 1 de maio de 2009

É velha, mas essa ainda não engoli.

Certo, 50% das vagas das universidades serem apenas para estudantes de rede de escolas públicas. Isso é piada né? Me digam que é piada, eu ainda não tou acreditando nisso. Como alguém teve a incrível capacidade de pensar nisso.

Certo, as pessoas que estudam na rede pública não tem "capacidade" e nem dinheiro para "bancar" uma boa escola ou um ótimo cursinho. E mesmo se conseguisse passar pelas as cotas e sem (quase) um tostão no bolso, acham mesmo que eles iriam conseguir se dar bem na universidade tendo uma base tão ridícula que teve na escola? e os materiais? e os livros? e todos afazeres que dão custo nessa vida universitária? Mermão... é foda, tá foda, vai ficar foda.

Não adianta o governo criar atalhos e facilidades para o aluno de rede pública se "interessar" nos estudos e ir para a universidade. Vou pular os fatos e os comentários da escola pública ser uma merda mal administrada por um governo de merda por pessoas de merda e partidos de merda e gravatas de merda e desvio de merda e manipulação de merda. Vou logo para a universidade.

Peguemos um aluno que saiu de uma escola pública de um estado pobre fodido nordestino (Alagoas) (se vocês tiram um tempo do dia para ver jornal, saberão que as piores médias do enem na rede pública foram em escolas do nordeste). Certo, criamos o aluno, e vamos larga-lo na UFAL. Vamos imaginar que sua mãe é ambulante e seu pai é mecânico, ou pior ainda, sua mãe é desempregada e apenas o pai trabalha. Imaginemos também que o guri tenha um irmão de 27 anos ambulante vendedor de balas em ônibus, uma irmã de 12 na escola e um irmãozinho de 7 que não faz nada, apenas fica em casa.
Esse guri entra na universidade, seus pais querem que ele ganhe dinheiro. Ele gosta de matemática (usando uma matéria não-decoreba fica fácil explicar a precariedade, mas se quiserem também posso usar um curso de humanas, mas primeiro vamos para as exatas.). Esse guri passa em Engenharia Civil. Ceeeeeeerto. Ele mal chega e vê matérias que nunca viu, contas que nunca fez, professores mais rabugentos que da escola pública, e o pior: gastos.Vários gastos, livro de cálculo, livro de Metodologia científica e etc. Se não vai comprar livros, tira xérox, corta um pouco os custos, mas ainda vai sofrer no bolso. Seus pais não querem bancar, mandam ele trabalhar. E agora? Como ele pode estudar cálculo e aprender coisas da matéria de exatas que ele NUNCA viu na vida e NUNCA aprendeu a fazer? sendo que tais coisas são o básico do básico do básico do curso. Como ele vai estudar e trabalhar se a universidade toma boa parte do dia dele e o trabalho tomará outra? Ele não dorme não?

Vocês devem estar aí se perguntando. (Ah. Meu pai, ou meu amigo, ou minha mãe sofreu a mesma coisa e hoje é bem sucedido(a)). Certo, mas ouvindo conversas de pessoas mais velhas eu sei que antigamente os colégios públicos não eram uma merda... meu pai ostenta com orgulho o fato dele ter estudado no "estadual", coisas que muitas pessoas não conseguiam. Meu vizinho, que já passa dos 60, dizia que antes as pessoas faziam fila para se matricular na melhor escola pública daqui de Maceió (fila que faria inveja à madonna). Meu pai saiu do colégio estadual e foi se formar em engenharia civil na UFPE. Certo, ele conseguiu, ele gostava de matemática e tá na cara que ele APRENDEU matemática no ensino fundamental e médio. Mas agora me respondam. Se você não aprende matemática na escola particular, que te faz decorar tudo para apenas passar no vestibular, acha que no ensino público essa matéria é levada a sério e com rigor? Tá na cara que eles (educadores) estão facilitando ao máximo possível as matérias para não haver repetências e nem evasão de alunos para a escola não deixar de receber verba do governo. Ou seja, tem muita coisa aí por trás e eu nem me arrisco a falar o que eu penso, já que não pesquiso isso.

E o problema não é apenas matemática ou engenharia ou arquitetura. Vamos atrás de um curso de humanas que dá dinheiro porque é o curso que dá mais chances de você passar em um concurso público e conseguir um bom salário. Direito. Quem tem amigos estudantes de direito (todo mundo tem) sabe que o curso é pesado, a "decoreba" é pesada e os gastos são imensos. Livros, novos livros, livros revisados, seminários, palestras e mais trocentas coisas. Para fazer direito é fundamental ter um ótimo tempo livre. Coisa que aluno de escola pública com uma família grande e uma renda mensal insignificante não consegue, ainda mais se colocar o guri para trabalhar.

Claro que isso é de acordo com o gurizão aí que eu inventei. Óbvio que existem famílias de classe média baixa que tem apenas 2 filhos e que fazem DE TUDO para o garotão estudar e se dar bem na vida e ter mais oportunidades. Para essas pessoas essa (merda) aí de colocar 50% das vagas seria um ato divino de Deus e seus anjos. Mas esse ato continua sendo errado (pelo menos para mim). Que tal "eles" primeiro olharem para as escolas públicas e para a educação do povo? ahh... isso não vai dar certo, "eles" querem manter o povo burro para ficar manipulando mais e mais e tirando proveito disso. É isso né? não adianta, esse assunto será tema de outra crítica ácida que irei preparar sobre partidos políticos e o caos desorganizado no governo e na política brasileira.

Mr Purple. Ph 2. Se falei merda. não quero te ouvir. como parte do povo brasileiro, também quero ser ignorante.

4 comentários:

Robson Jr. 1 de maio de 2009 13:12  

Eu concordo, não entrei na universidade por causa disso, uma "rapaz" que fez 88 pontos passou, enquanto isso, eu, que fiz 144,7 fiquei de fora...

Mr. Purple 1 de maio de 2009 13:39  

foda né?

O Zé Ruela 1 de maio de 2009 15:32  

eu nao discordo completamente da razao das cotas,nem mesmo para negros,o pensamento que fundamento nao eh tao errado assim,claro que eh necessario investir no ensino basico mas enfim,so pegar um texto que fale sobre a fabula das 3 racas,no brasil.
Mas a verdade eh que com cotas ou nao,certas coisas nao mudam,e por isso dou razao ao texto,e indico um outro texto pra aqueles que se interessarem chama "Os excluidos do interior" de Pierre bourdier,e Patrick champagne.Eh no contexto frances,mas eh muito proximo ao que acontece e vai acontecer aqui com esse sistema.

Cojake 2 de maio de 2009 21:04  

É mr. purple, você não falou merda não... depois que li o comentário do Zé Ruela, pensei também que teu texto poderia também abordar o absurdo que é o uso de cotas. E engraçado que tem uma pah de gente que é contra os preconceitos raciais existentes em nosso país, mas qualquer concurso que puder se increver por cotas, se inscreve, julgando ser mais fácil. Cúmulo da hipocresia!

Esse blog foi feito...

Para pensadores esclarecidos, ou não...
Para poetas clássicos, ou não...
Para leitores convictos, ou não...
Para você, ou não...
Para mim, ou não...
Para sua mãe, sempre!

  © Blogger template 'Star Wars' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP