segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sobre o "eu"

Eu sou o resultado de todas as experiências que eu vivi, eu sou o subproduto da vida que eu escolhi, eu sou a mistura das minhas influências.
O que eu sou é o resumo de tudo que já aconteceu comigo, eu sou uma soma dos valores, das dores, dos sorrisos, dos bons e maus momentos da minha vida, eu sou o que sobrou de mim em tempos passados. Eu sou também no que eu me transformei depois de tudo o que se passou.
O que eu sou só existe por causa do que eu era, e o que eu fui um dia ainda vive em algum lugar no que eu sou hoje. Eu sou como todo o resto, o hoje, e o hoje só existe por causa do ontem. Eu sou o oposto de mim mesmo, e muitas vezes ainda serei, e vários "eus" (se me permitem a licença poética) ainda virão.
Porque o "eu" nada mais é que a soma de várias fases, várias épocas e várias pessoas. O "eu" nada mais é o que uma variável em relação ao tempo, ou seja, você só é o que é porque sofre a ação do tempo e da vida, e a sua composição como ser, mesmo que conservada uma essência (que alguns chamam de caráter, outros chamam de alma), só existe, pois o tempo agiu de alguma forma sobre você, assim é comigo.
Dizer quem eu sou é andar em círculos, é mais fácil dizer quem eu era, mas para isso é necessário ter estado comigo por algum tempo e mesmo assim você só conhece a pessoa como ela era naquele tempo, mesmo que haja conexão entre as pessoas, conhecer a essência de alguém é uma tarefa árdua, e exige anos de convivência, mas para se conhecer uma fase basta estar junto.
Enfim, o "eu" também inclui parte dos "outros", assim como faz parte dos "outros". Levando em consideração tudo isso, o "eu" é ao mesmo tempo individual e coletivo, único, porém influenciável até certo ponto.
Resumindo, eu sou o que eu sou, o que eu fui e ainda serei muitos "eus" até o dia em que eu for só um pensamento, uma lembrança ou, quem sabe, se eu me esforçar bastante, uma idéia.

Ass.: Robson Jr. - Assinando hoje, pois ontem o sono não deixou, mesmo assim "eu" assino hoje um texto que "eu" fiz sobre o distante e tão presente ontem...

7 comentários:

Kim Sousa 16 de novembro de 2009 10:24  

Meu amigo tu demora a postar, mas quando posta...adorei esse texto...abração...

Robson Jr. 16 de novembro de 2009 11:05  

Valeu cara, vou tentar postar regularmente mesmo o meu tempo sendo bem curto...volte sempre.

O Zé Ruela 16 de novembro de 2009 11:52  

....,vc basicamente,misturou um monte de teorias(inclusive kantiana senao sabe) sobre a alma...
Discussao feita desda epoca dos gregos,continuada por todo esse tempo.
E nao eh com o robson q vai terminar,afinal o que sou "eu" neh?

Robson Jr. 16 de novembro de 2009 21:27  

Verdade, verdade e verdade...

Thingol 16 de novembro de 2009 21:36  

Quem quer saber que você é rapaz??? toma vergonha nessa cara e vai encher uma lage... Okokaokaokaokaka
mesmo assim o seu Eu de hoje deve estar com uma dor nos cocos!!! que o seu eu de amanhã não seja vingativo...

Robson Jr. 16 de novembro de 2009 22:02  

O meu "eu" de amanhã, se eu puder prever, vai estar diabólico...

Angel 22 de dezembro de 2009 19:30  

Ah *.*

Robson, vc é MARA (essa é velha, mas é a verdade :D)!!!

Tá, não me importam as discussões, ainda que seu pensamento esteja 'misturado' também nas teorias filosóficas da construção do "ser" (, do homem, que só pode ser social).

Ah; eu vou copiar um pedaço (quase todo) do seu texto ok? Coloco a autoria, não se preocupe.

Adoro :) Você escreve cada vez melhor [quando quer né]

:*

Esse blog foi feito...

Para pensadores esclarecidos, ou não...
Para poetas clássicos, ou não...
Para leitores convictos, ou não...
Para você, ou não...
Para mim, ou não...
Para sua mãe, sempre!

  © Blogger template 'Star Wars' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP