quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Pequeno ensaio sobre a intelectualidade nos nossos dias




Como será que andam os estudos dos jovens e crianças hoje em dia? Será que a maneira que nos passam conteúdo, ou melhor, será que a maneira com que nos exigem provas de conhecimentos está certa? Você tem certeza de que sabe o que você aprendeu de verdade? Complicadas questões não acha?
Foi levantando questões como essa que a idéia de fazer esse ensaio, de ir a fundo ao intelecto de quem mais se preocupa com o intelecto, o vestibulando. Claro, pois se subentende que o vestibulando é um poço de informações sobre diversas coisas, pois só assim ele estará qualificado para concorrer a uma vaga numa boa universidade.
Porém o que nossas pesquisas nos mostraram foram dados diferentes, chegamos à terrível conclusão de que num futuro próximo teremos uma escassez de pensadores, posso culpar muitas coisas, mas começo culpando o nosso sistema de ensino. Durante toda uma vida, quase que sem querer somos obrigados a estudar sobre temas que nem sempre despertam nosso interesse, e por isso nos acostumamos a estudar da seguinte forma: Se matar de tanto estudar para conseguir boas médias e se manter como o aluno padrão da escola, e esquecer o conteúdo três meses depois.
Tão é assim que chamamos GEOMETRIA ANALÍTICA de conteúdo bimestral, você aprende, usa no vestibular e depois bane da sua cabeça pra sempre. Parece horrível se olharmos por esse ponto de vista, só que é exatamente esse tipo de comportamento que se espera de um vestibulando, se entupir de informações e usá-las de maneira prática. E ponto.
Tudo isso é absolutamente normal no nosso sistema e tudo mais, porém, o estudante “esponja” (que absorve e retém informações em curto prazo) acredita que o que está fazendo é incrível e tende a se tornar arrogante, prepotente, pseudo-intelectual, C.D.F mesmo, ele põe na cabeça que é uma pessoa acima da média, porque todo mundo diz isso pra ele, os pais dizem, os professores dizem, enfim, o boletim diz.
Porém o aluno prodígio esqueceu-se de pensar, ele nem mesmo pensou no motivo pelo qual ele estudou a vida toda, se perguntar ele vai responder que foi pra passar no vestibular, mas, e aí? Depois disso a vida acaba? Como o jovem vai adquirir conhecimento científico se ele trata a intelectualidade como uma ciência lógica baseada em notas de um a dez? Sim, pois pro vestibulando padrão só estuda para ser “alguém na vida”, que em termos mais populares significa ser bacana, ter dinheiro pra poder ter casa boa, um sítio e todo o pacote completo.
Bem, isso é quase uma facada no ato de pensar, sim, pensar, atribuir razão as coisas, tentar interpretar as informações recebidas ao invés de somente processá-las como um super computador, interpretar e indagar sobre o conhecimento é muito mais difícil do que somente adquiri-lo, isso sim é a inteligência em sua forma mais bela, a sabedoria.
O que vem acontecendo é uma mecanização do ensino, para transformar o conhecimento em algo quase industrial, para “fabricar” profissionais em larga escala, mas que profissionais são esses? Até ai tudo lindo para o Capitalismo. Mas e o pensamento humano, para onde vai? Se esse sistema não se preocupa com o pensar, aonde vamos parar? Sem a intelectualidade não há criatividade, o que ocorre é a mecanização das relações sociais. O homem se limita quando para de pensar, em tempos como esses os falsos profetas vão fazer a festa, sociedade estagnada é o fim da evolução e esse suicídio silencioso começa no Ensino Médio, cada uma vai se matando como pode. Se prendendo as correntes da padronização de cérebros, e se você não estiver nessa turma e estiver pronto para agüentar a pressão que será imposta sobre você, parabéns, você pode ser uma daquelas pessoas que controlam as outras. Não, isso não é feio, é absolutamente normal, é assim que grandes civilizações são criadas, poucos pensam, muitos obedecem, menos ainda são os que falam, e se alguém entender é porque estamos evoluindo. E ai, como vão os estudos?

Ass.: Robson Jr. - Voltando com tudo! MORTE AO TIMO GLOCK FELA DA PUTA!

5 comentários:

O Zé Ruela 7 de novembro de 2008 11:36  

po kra,concordo com vc,eu mesmo conheco um rapaz,que nao vou mencionar o nome,mas q estuda numa escola com o lema "valores humanos blablabla",e ele tem todo esse ar de prepotente,arrogante,e ainda por cima,se a prof fala mal da nota de ed.fisica nao ta nem ai!,acredita nisso?

Samuel 8 de novembro de 2008 18:10  

É por isso que eu digo que eu aprendo mais quando eu não tô estudando, do que quanto eu tô!

Ps.: O Masao é fdp, hein??

Mr. Purple 9 de novembro de 2008 18:08  

minha mente é vazia, eu não penso, sou ignorante e me acho foda!

:D

Robson Jr. 10 de novembro de 2008 18:08  

Resumiu bem.

Rodrigo 31 de dezembro de 2008 16:59  

Isso é o que eu venho dizendo a muito tempo... o maldito sistema de ensino nos transforma em máquinas aptas para o trabalho, o resto é publicidade...
Eu já digo que aprendo mais quando nao estou no colégio...
hehheeeheh

Esse blog foi feito...

Para pensadores esclarecidos, ou não...
Para poetas clássicos, ou não...
Para leitores convictos, ou não...
Para você, ou não...
Para mim, ou não...
Para sua mãe, sempre!

  © Blogger template 'Star Wars' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP